Saboaria Ser Divina

A saboaria e herbomagia Ser Divina tem por objetivo principal, trazer a magia das ervas e dos aromas para o cotidiano das pessoas, unindo essa magia aos cuidados tradicionais da higiene corporal, ampliando este rito para além do corpo físico, ou seja, incluindo os cuidados da mente e do campo energético diariamente, favorecendo para o equilíbrio, relaxamento e proteção.
Meu nome é Celi Coutinho por mais de três décadas exerço o meu lado alquimista através da  perfumaria magística, ou Aromagia.
E há tempos eu já vinha com vontade de fazer, muito mais, dentro do mundo dos aromas e da “herbomagia”.
Herbomagia Ser Divina foi o primeiro nome que veio em minha mente quando decidi participar da Feira da Mystic fair de 2019 em São Paulo. Eu quis levar mais que os tradicionais perfumes alquímicos, mas também chás e banhos, velas perfumadas e sabonetes.
Para o evento, levei sabonetes produzidos através do método melt & pour (com base de sabonetes glicerinadas prontas), com o tempo curto que eu tinha naquele momento o melt & pour (derreter e verter) era o mais viável, pois o mundo da saboaria começava a se descortinar para mim naquele momento, ao pesquisar por produtos de base glicerinadas para comprar, fui percebendo outro mundo dentro do ramo da saboaria.
E para o meu prazer e curiosidade, no evento da Mystic Fair, havia vários outros stands com saboaria, tinha de um a tudo, e a coceira nas mãos e na mente cresceu muito.
Mas, porém pesquisar mais naquele momento não era possível. Coloquei como projeto para 2020. E assim que o ano virou comecei a ler e estudar e com “sorte” veio a quarentena, digo sorte, porque no meu cotidiano daquele momento eu demoraria muito mais tempo para ter produtos de saboaria artesanal.
Fazer sabonetes do zero, saponificado com óleos especiais e assim ter produtos artesanal e veganos e com qualidade de melhoria da pele, e ainda contribuir para não agredir a natureza, se tornou o meu objetivo.
E principalmente saber exatamente o que contém no meu produto. A Saboaria é um mundo de muitas controvérsias, precisa ter um filtro muito grande para escolher um caminho para seguir.
Com o período  do “fique em Casa”. Tive a chance que eu precisava. Estudar e praticar a saboaria artesanal.
O universo é sábio, e se soubermos ler e aproveitar as oportunidades podem ser feitos coisas incríveis.
E cá estou apresentando meus projetos ao mundo. Eu decidi me especializar em fazer linhas de sabonetes naturais feito do zero e fito-espirituais.
Iniciei com o método cold process, ou seja, o processo inicialmente feito a frio, digo isso porque quando ele entra no processo de saponificar ele fica muito quente devido a reação com a lixivia, e necessita de um tempo muito grande de cura em alguns casos, principalmente os que são feitos com azeite de oliva.
E isso me preocupou na época, porque desejava fazer pequenos lotes. E me veio uma pergunta, será que terei produtos assim para oferecer a qualquer momento? Percebi que dentro do que eu almejava não era bem assim. Enquanto as primeiras remessas entravam em processos de cura, sendo que alguns podem levar de 6 meses até 1 ano para ficar no ponto de ser comercializado, o mínimo são dois meses (em produtos que levam óleo de coco e ou palmiste).
Decidi estudar mais porque o meu objetivo era ter algo mais rápido, e fui estudando e já havia lido sobre o hot process (processo a quente), mas eu não tinha equipamentos para tal feito e fui devagar até que consegui comprar meus equipamentos, que são coisas simples, mas caro, para quem não tem como investir, e naquele momento da pandemia, não estava tão simples.
Fui testando, em julho de 2020 voltei ao consultório, entre aulas e atendimentos, rentabilizei o necessário e perfeito, já tinha como comprar mais material e mais equipamentos. Eu disse lá atrás que o universo é sábio e conspira ao nosso favor. Até então estava reproduzindo receitas encontradas e testando, perdi bastante matéria prima enquanto seguia  com receitas da internet, aulas online, youtube (aqui o crivo precisa ser redobrado), mas assim mesmo eu fui testando mais e mais.
E foi assistindo lives e cursos online gratuito de varias saboeiras já famosas no processo e inclusive a Natalia Bissom, uma mulher da saboaria muito consciente e foi com ela que eu percebi que dava para ir muito mais longe, encontrei caminhos para estudar, porque eu já tinha termos técnicos para pesquisar.
Eu sou umbandista e um dado momento de 2020, perto do mês de setembro, não me lembro ao certo agora, uma das entendidas da minha mãe de Santo me pediu para preparar sabonetes com funções espirituais e me deu uma lista das ervas que eles desejavam serem importantes, como: cravo, canela, de sementes de sucupira, pixuri (nunca tinha ouvido falar), rosas vermelhas, anis-estrelados.
Gente confesso que eu sai aquele dia com um sorriso de ponta a ponta, imaginem só!
Entidades pedindo para eu executar as “pedras que lavam”, algumas coisas eu nem fazia ideia de como fazer. Perguntei eu não sei como fazer com esses produtos da lista?
E a resposta foi; você saberá!
Ahaah! Pergunta tola.
Claro que eu deveria saber ou ter quem saiba na minha linhagem espiritual.
Porque afinal é nato em mim mexer com ervas, sempre foi, simplesmente brota.
E confiei nisto e sai para buscar as ervas, pitanga, na verdade a maioria eram especiarias, canela, anis-estrelado, cravo da índia até ai tudo bem.
Pixuri, que será isso?
Pesquisei e não achei nada naquele momento.
Bom, então fui à zona cerealista e assim, fui de loja em loja perguntando, e a maioria não sabiam o que era pixuri, até que por fim encontrei, mais da metade de um dia procurando e andando. Até que encontrei, ufa me deu um frio no estomago, porque é extremamente caro este tal de pixuri.
E então, comprei algumas sementes,  enquanto fui pegando na mão, acho que umas 100 gramas, o coração dizia, será que isso dará?, ai que dúvida. E escutei claramente nos meus ouvidos, “Isso tá bom”. Então tá. E por último comprei a sucupira.
A historia da sucupira também foi muito engraçado, porque eu já havia há muitos anos atrás recebido a informação de que eu devia tomar um banho de sucupira, mas a pessoa não me ensinou como usá-la na época, e eu fervi as sementes inteiras e confesso, não senti efeito algum, e deixei de lado, isso não funciona. E de repente eu com sucupira na mão para fazer sabonetes.
Confesso que vim me questionando como usar o tal do pixuri e a sucupira.
Bom, eu aprendi a não discutir racionalmente nestas horas, simplesmente deixar fluir.
E tudo certo!
Vim para casa, coloquei na mesa e comecei a pensar como usar aquilo tudo. Separei tudo, já estava cansada e deixei para o dia seguinte.
Gente não precisou de nada, a força e energia que eu sentia e a tranquilidade em fazer, aquela sensação de que não era eu, e assim fiz os extratos.
Bom, o Pixuri foi ralado, e a sucupira foi socada e percebi que havia óleo dentro dela, e a semente verde saía de dentro. Claro que fiz um chá com duas delas deixei amornar e tomei um banho.
Minha nossa que efeito, senti firmeza no corpo, acabou o cansaço, aliviou as dores nas pernas como passo de mágica.
Levei dois dias para fazer os extratos, fiz extratos glicerinado, extratos alcoólicos e também coloquei no óleo para macerar, e enfim foi vindo.
Depois em outro momento, fui entender como que compor as formulas dos futuros sabonetes fito-espirituais, quais óleos e manteigas e azeites escolheria, colocar na calculadora e chegar num consenso de fórmulas de sabonetes. Deixei o tempo necessário para os extratos ficarem prontos. O processo todo até chegar o momento de fazer os sabonetes levou 30 dias.
E a decidi fazer no hot process, pois havia urgência neste material.
Gente e foi show. Um mundo de beleza e perfeição, não digo na estética, porque o hot process produz um sabão mais rústico, mas o aroma e o produto na pele indiscutivelmente bom, e enfim estava criado a linha fito-espiritual.
Criar depois para os arquétipos foi simples e assim com objetivos específicos dentro da magia que atenderá o mundo energético com foco no SAGRADO FEMININO E OUTROS ARQUÉTIPOS DA MAGIA, montando projetos especiais que estão disponibilizados na loja.
Os sabonetes da linha magia e arquétipos do sagrado feminino, eu digo que são produtos fito-espirituais, e não só fito-energéticos, já conhecido por muito muitos. Fito-espirituais mesmo. Porque como eu disse antes de ser uma saboeira sou fitoterapeuta, aromaterapeuta, perfumista, umbandista e condutora do sagrado feminino. Portanto, as propriedades das plantas e como usá-las é algo que domino muito bem, e sei como agregar os produtos na saboaria sem perder valores energéticos e mágico das plantas, claro percebi isso depois de muito estudar e fazer teste e mais testes e depois de pronto levar para as minhas clientes de consultório e alunas. E escutar de uma por uma o quão diferente de tudo que elas já usaram, e o mais importante é que elas sentiam na diferença de um sabonete artesanal comum para os que estavam comprando agora.
Me lembro em Dezembro 2020, uma moça que é aromaterapeuta que estava no círculo de mulheres e comprou o sabonete Lilith, ela no dia seguinte passou uma mensagem dizendo.
“Celi, nunca usei um sabonete que eu sentisse a mudança em mim, Maravilhoso. E assim tem sido os elogios”.
E é claro no centro os sabonetes de pixuri, sucupira, rosas vermelhas, anis-estrelado, canela, cravo-da-índia, pitanga, sendo indicado e utilizados e seus efeitos sendo visto aos olhos nu.
Uma outra coisa muito interessante, aprendi que sabonetes para terem efeitos no corpo precisam ser deixados por 5 minutos a espuma na pele para absorver os efeitos que nele contem de propriedade, principalmente no quesito limpeza ou imantação do corpo áurico.
Quero deixar claro um outro pensar aqui.
Com o meu conhecimento de aromaterapia, dentro da saboaria não acredito que um sabonete feito com óleos essenciais tenham efeitos para mudar uma pele, para ser anti-bactericida, e uma série de promessas que eu vejo e ou cuidados do campo áurico e serem fito-energéticos.
Pura e simplesmente, porque o óleo essencial é algo muito sútil e sensível ao calor, portanto se exposto a uma temperatura maior que 21 graus ele perderá propriedade, se torna apenas um produto cheiroso, isto quando o aroma permanece. Para dar cheiros aos sabonetes a única alternativa é as essências, claro, digo que as essências, porque alguém que é aromaterapeuta de verdade, já sabe disto e não usará óleo essencial no sabonete, algo tão caro apenas para perfumar e fazer parte do banho que a água leva para o ralo, este não é o ponto, óleo essencial nem vai pro ralo,  porque ele deixa de ser óleo essencial dentro do processo da saponificação.
No cold press, você inicia com ele frio e durante o processo da saponificação ele chega a 70 graus ou mais. Sem chance do efeito dos óleos essenciais perdurarem, No Hot process o superfat (óleos e manteigas adicionais) é inserido depois do cozimento numa temperatura media de 65 graus, muito alta a temperatura para o óleo essencial sobreviver. Portanto, também o efeito do óleo essencial no melt & pour você não consegue inserir numa temperatura menor que 40 graus, vai com sorte de não endurecer antes de 40 graus, perdeu de novo o efeito do óleo essencial.
Então, o que dará propriedade aos sabonetes artesanais feito desde da base é o oleato, e extratos glicerinado e extratos alcoólicos.
E os sabonetes artesanais para se tornar um produto que cuida da pele, cuida do corpo emocional e  espiritual, precisa de um conjunto de fatores que darão atributos aos sabonetes.
É necessário montar um projeto do que se deseja, e pensar no extrato, no oleato, nos óleos e nas manteigas que serão utilizados.
Quando os meus sabonetes não são feito de azeite de oliva extra virgem, estou trabalhando com óleos de coco e manteigas, porque permitem um sabonete suave e com funções terapêuticas.
Eu trago alguns sabonetes tradicionais para respeitar a historia da saboaria antiga, e assim ter a ancestralidade envolvida neste processo, como o sabonetes de Castella, o de Bastille, e o Aleppo que não tem a intenção de fito-espirituais e nem da magia e sim, uma linha com excelente produtos para o banho, extremamente hidratantes e funcionais.
Já dentro da linha Herbomagia ofereço produto como: chás, ervas para banho e  pós da prosperidade para aspergir no ambiente.
Na linha de chás e banhos, eles são compostos com ervas que tem regência mágica e astrológica que permite ter a função de atrair aspectos de purificação, no corpo, na emoção e na mente, abrir as nadis (condutos sutis energéticos) levando as mensagens da mente através de uma corrente elétrica ao seu corpo emocional e receber de volta informações através destes mesmos canais ao seu sistema nervoso central, traduzindo que a energia das ervas ingeridas no chá faça a função de purificar, energizar, acalmar, de gerir atração e de levar à meditação, assim como no banho as ervas tem a função de limpar, purificar e imantar.
E a Aromagia – São perfumes alquímicos elaborados com óleos essenciais naturais,  sem fixadores animais, são perfumes com os cheiros mais acentuado devido o uso do óleo essencial puro e álcool de cereais.
Você pode utilizar, nos ambientes espirando no ar, na hora de fazer um ritual para abrir portais e em seu corpo nos chacras, pode ser diluído para a sua adaptação na água do banho até que possa utilizar puro em seu corpo.
Não causam alergias, atuará de forma terapêutica e magística, portanto é possível ter algumas reações naturais das mudanças.
Como também sinergias aromáticas, blend, bálsamo. Estes são elaborados com óleos essências que pode ser acrescido a frio.
Escrevi bastante e para finalizar eu digo: “Conto com vocês para crescer a ideia de se utilizar um produto que tenha uma função maior do que só limpar a pele, mas que possa hidratar e cuidar do campo áurico”.
Compre seus produtos, apreciem e depois voltem para deixar seu depoimento.

Gratidão por lerem ate o final!!!

 

 

×
%d blogueiros gostam disto: